COMO EVITAR FAKE NEWS EM TEMPOS DE COVID-19

Além da pandemia do coronavírus que virou o mundo de cabeça para baixo esse ano, outro grande problema que estamos enfrentando de uns anos para cá e que se agravou durante a crise do COVID-19, são as fake news. Certamente você já ouviu esse termo que se popularizou bastante no Brasil, principalmente a partir de 2018, e que significa “notícia falsa”.

Quem usa a internet regularmente, seja no Facebook, Instagram, WhatsApp, ou qualquer outra rede social, sem dúvidas já esbarrou em alguma fake news por aí. Essas notícias falsas podem até parecer inofensivas, mas não são. A proliferação delas pode causar diversas situações graves, como o pânico coletivo, a crença em práticas que prejudicam a saúde e, até mesmo, despertar a o sentimento de justiça com as próprias mãos, como nesse caso que aconteceu em 2014, no Guarujá/SP.

Por que as Fake News se espalham?

Existem diversos estudos sobre a prática da fake news e um deles, realizado pelo MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) entre 2006 e 2017 e publicado em 2018, aponta que essas notícias tem poder de se espalhar até 70% mais rápido do que notícias reais. Ainda em 2018, uma matéria publicada pela revista Forbes indicou que o Brasil era o 3º colocado no ranking de países que mais consomem fake news no mundo! Já em outro estudo mais recente, realizado pela Kaspersky e publicado agora em 2020, é possível ver que cerca de 60% dos brasileiros não sabem reconhecer uma notícia falsa.

Todos esses estudos mostram dados de fato preocupantes, principalmente nesse período em que estamos vivendo uma pandemia de uma doença sem precedentes, onde a maioria das informações são novas.

Apesar disso, existem práticas simples que nos ajudam a diferenciar uma notícia falsa de uma verdadeira, fazendo com que a reprodução das fake news seja reduzida.

Pensando em te ajudar a combater essas notícias falsas, nós juntamos aqui algumas dicas que tem sido amplamente divulgadas por diversos estudiosos e meios de comunicação especializados nisso. Confira e fique atento!

Jovem lendo uma notícia.

Não pare no título

Geralmente as fake news se espalham rapidamente por conta de seus títulos e imagens provocativas. Essa, sem dúvidas, é uma das grandes estratégias de propagação de notícias falsas. Isso porque, grande parte das pessoas não se dá ao trabalho de ler o artigo completo e, na maioria das vezes, o título não é coerente com o restante do texto.

A maioria dos portais de fake news se aproveitam de uma técnica chamada clickbait, que traduzido livremente pode ser chamada de “isca para cliques”. Dessa forma, elas aumentam a quantidade de acessos na página e, teoricamente, aumentam a credibilidade da mesma – o que nem sempre é real.

Outro ponto de atenção que você deve ter ao ler a notícia completa é com relação à estrutura do texto. Isso porque, além do mesmo não condizer totalmente com o título, muitas vezes é possível encontrar erros de ortografia ou gramaticais, que dificilmente seriam cometidos por jornalistas de portais confiáveis.

Preste atenção nos sites

Essa dica está diretamente relacionada com a anterior, pois muitos portais de fake news acabam copiando o visual de portais de jornalismos mais conhecidos, na tentativa de transparecer mais credibilidade. Com isso, é muito importante que você preste atenção não somente na URL do site (aquela que vai escrita na barra de navegação, sabe?), mas também na estrutura dele.

Navegue pelo site, leia as demais notícias, descubra quem é o responsável pelos artigos, busque informações no “quem somos” do portal. Esses e outros indícios podem apontar que o site poder ser falso e te ajudar a descobrir uma fake news, por exemplo. Fez tudo isso e ainda está em dúvida, então passe para a próxima dica!

Imagem de um laptop com a tela de pesquisa do Google aberta para pesquisar fake news.

Pesquise mais

Isso mesmo, pesquise mais! O bom e velho Google pode ser um grande aliado no combate das fake news. Isso porque, com o avanço da tecnologia é bem difícil que uma notícia seja exclusiva por muito tempo. Sendo assim, ao receber um artigo que você considera duvidoso, jogue no Google. Se ele aparecer em outros portais de notícias confiáveis como a Folha, G1, Estadão, por exemplo, você pode ficar mais tranquilo. Caso contrário, as chances dessa informação ser uma fake news são grandes!

Outra forma de checar a veracidade de um fato é através de sites especializados nisso. Desde 2018 diversos veículos de comunicação lançaram portais que ajudam a verificar se notícias são verdadeiras ou não. Vamos deixar alguns aqui embaixo para te ajudar, confira:

  • Fato ou fake criado pelo Grupo Globo
  • Agência Lupa do jornal Folha de São Paulo
  • Fake Check ferramenta desenvolvida pela UFSCar (Universidade Federal de São Carlos)
  • Comprova iniciativa de diversos profissionais de mais de 25 veículos de comunicação brasileiros.

Atenção com notícias “encaminhadas”

O WhatsApp tem sido um dos aplicativos mais usados para espalhar fake news. Isso porque, ele é uma ferramenta fácil de usar e transmitir informações, falsas ou não, de forma rápida. Sendo assim, desde 2018 foi desenvolvido uma espécie de “aviso” no aplicativo para sinalizar mensagens que foram encaminhadas, ou seja, que possivelmente não foram escritas por quem te enviou. Para saber se a notícia que você recebeu foi encaminhada ou não, basta você se atentar se está escrito a palavra “Encaminhada” logo acima da mensagem, com letra em itálico (inclinada).

Caso a mensagem esteja com essa tag, principalmente se for um arquivo de áudio ou vídeo, é muito possível que seja parte de uma corrente de notícias falsas. Se você desconfiar da mensagem que recebeu, siga as dicas acima: pesquise mais no Google, cheque o site onde ela foi publicada (caso seja um link), verifique que encontra ela em outros sites, etc. Se você não achar mais informações sobre essa notícia, existem grandes chances de ela ser falsa.

Seja parte da solução

Você recebeu uma notícia, seguiu as nossas dicas e descobriu que era uma fake news, e agora? Seja parte da solução! Converse com a pessoa que te repassou essa notícia, pois muitas vezes ela pode não saber que é falsa. Se você achou a versão verdadeira dos fatos, compartilhe com mais pessoas. A forma mais eficiente de combater fake news é compartilhando informações verdadeiras.

Mesmo lendo nossas dicas, sem querer você acabou sendo parte da rede de transmissão de uma fake news e só descobriu agora? Está tudo bem, somos humanos e estamos suscetíveis a erros. Nesse caso, o mais importante é admitir que você errou ao compartilhar essa informação falsa e, em seguida, redobrar os esforços para compartilhar a verdadeira.

Outra forma de ser parte da solução é denunciando essas notícias. Muitas redes sociais como o Facebook e o Instagram, por exemplo, permitem que você denuncie conteúdos que ferem as políticas do site e notícias falsas, que promovam discursos de ódio ou ameaças, são alguns exemplos disso.

Com essas dicas mais simples já é possível se prevenir de diversas fake news. Apesar delas, em tempos de COVID-19, também é importante se basear em conteúdos científicos e canais oficiais, como o do Ministério da Saúde, por exemplo.

Esperamos que nossas dicas tenham sido úteis e lembre-se, evitar a proliferação de fake news também é um ato de cuidado, seja com você ou com a sociedade onde você está inserido, e #CuidarÉColetivo.

DEIXE UM COMENTÁRIO