DIA DO PSICÓLOGO – DICAS PARA ESCOLHER O SEU!

Hoje é celebrado o Dia do Psicólogo, um profissional muito importante na sociedade atual. Engana-se quem acredita naquelas afirmações mais antigas e infundadas de que “isso é coisa para gente doida”, ou “ir ao psicólogo é a mesma coisa que conversar com um amigo”, pois o atendimento que esses profissionais prestam vão muito além disso.

Todos nós passamos por fases na vida onde é difícil lidar com nossos pensamentos e sentimentos e esse período de isolamento social e quarentena tem sido assim para muitas pessoas. Sendo assim, a busca por esse universo de atendimento psicológico e terapias aumentaram consideravelmente nesse período. Apesar disso, muitas pessoas ainda têm dúvidas de como encontrar o profissional certo e se você é uma delas, trouxemos algumas dicas para te ajudar. Confira!

Peça indicações

Apesar de psicólogos não terem cursado medicina, eles também lidam com a nossa saúde, certo? E uma prática muito comum quando vamos nos consultar com um profissional dessa área é pedir indicações para as pessoas que nós confiamos.

Pedir indicações para pessoas de confiança, seja um amigo, um ex-paciente do psicólogo ou até mesmo um médico que já trata da sua saúde, porém em outra especialidade, pode ajudar a escolher o profissional ideal para você. Lógico que somente a indicação não pode ser o critério essencial para a escolha, mas certamente pode facilitar o processo.

Conheça o perfil dele

Depois de conseguir referências sobre atendimento e chegar a um profissional, pesquise mais sobre o perfil profissional dele. Qual é a sua formação acadêmica, quais especializações ele já fez, qual sua área de atuação são informações importantes de considerar.

Conhecer a abordagem teórica dele também pode ser interessante, mas não significa que seja um impeditivo ou fator decisivo. Se você já fez terapia antes ou tem algum conhecimento sobre as diferentes linhas teóricas existentes, pode ser que isso te ajude na escolha, mas caso seja sua primeira vez, não se prenda tanto a essa informação – a menos que tenha sido um encaminhamento específico feito por outro profissional.

Atenção à localização do consultório

Levar em consideração a localização da clínica onde você vai ser atendido pode parecer até banal, mas é importante. Nem sempre a terapia vai ser confortável, pois muitas vezes vocês irão tocar em assuntos que te incomodam e te fazer refletir – e está tudo bem. Juntando esse possível incomodo com um local de difícil acesso, as chances de você desistir de fazer um acompanhamento com o psicólogo são grandes.

Isso acontece também porque geralmente a frequência da terapia é semanal, sendo assim, é importante que seja um local fácil de chegar. Dessa forma, busque por clínicas próximas a sua casa ou ao seu trabalho, por exemplo.

Busque por um valor acessível para você

O valor da sessão também é importante de ser avaliado, pois ele pode variar por muitos fatores: profissional, tempo da sessão, frequência, entre outros. Imagine que você começou o acompanhamento com um profissional cujo o valor já não era tão acessível para a sua realidade e, depois de um tempo, você precisou parar por não ter mais condições de arcar com ele. Não seria nada legal, não é mesmo? Além disso, esse encerramento brusco poderia te trazer outras consequências também, como uma regressão do seu desenvolvimento, por exemplo. Por isso é importante avaliar muito bem os custos antes de iniciar o acompanhamento.

Existem alguns planos de saúde que cobrem sessões de terapia, desde que essas sejam indicadas por outro profissional da saúde através de um encaminhamento, por exemplo. Se você tem um plano de saúde, consulte a cobertura dele e caso tenha terapias disponíveis, avalie a possibilidade de fazer por ele.

Cuidados que você deve tomar

Apesar das dicas que demos, existem alguns outros cuidados que são muito importantes na hora de escolher um psicólogo. Listamos alguns a seguir para você ficar atento:

  • O sigilo das informações: psicólogos seguem um código de ética e preservar sua intimidade, mantendo o sigilo das informações que você passa para ele, é um dos pontos mais importantes.
  • Não misturar crenças com o tratamento: também apontado pelo código de ética, os profissionais da psicologia não devem misturar crenças, sejam elas religiosas, políticas, ideológicas, de orientação sexual, filosóficas, entre outras, durante o exercício de suas funções.
  • Nada de previsões: previsões de curas rápidas também são contra o código de ética profissional. Sendo assim, se algum psicólogo de apresentar um prazo para curar qualquer dificuldade que tenha te levado a procurar ele, desconfie.
  • Atenção com tratamentos alternativos: Reike, Florais, Coaching, entre outras técnicas não devem ser oferecidas pelo seu psicólogo durante uma consulta, por exemplo. Não significa que essas práticas são proibidas, mas assim como as crenças, elas não devem ser misturadas no momento da consulta.
  • Verifique o registro profissional: é muito importante que o seu psicólogo seja registrado no conselho de classe da profissão dele, ou seja, no caso dos psicólogos atuantes no Brasil, eles devem estar cadastrados junto ao Conselho Federal de Psicologia.

Essas são só algumas dicas para te ajudar na escolha do seu psicólogo, e esperamos que elas sejam úteis caso você esteja considerando começar uma terapia.

Fazer terapia é bom e todo mundo precisa, pois além de estarmos cuidando de nós mesmos, também estamos cuidando no nosso relacionamento com o próximo, e #CuidarÉColetivo.

DEIXE UM COMENTÁRIO