COVID-19 E DOENÇAS RESPIRATÓRIAS – COMO SE PROTEGER NO INVERNO?

No último final de semana entramos na estação mais fria do ano, em especial nas regiões Sul e Sudeste do Brasil, o inverno. Apesar de ser uma estação muito aguardada por grande parte da população e ser de fato agradável, com ela também aumenta a incidência de doenças respiratórias, como gripes e resfriados.

Atualmente estamos em meio a uma pandemia de uma dessas doenças, o COVID-19. Por isso é indicado que os cuidados com a saúde nesse período sejam redobrados para evitar qualquer contágio.

Pensando nisso, preparamos esse post para mostrar as diferenças nos sintomas das principais doenças respiratórias e ajudar com algumas dicas de prevenção, para que você passe por essa estação de forma mais tranquila. Vamos lá?

Doenças respiratórias – causas e sintomas

Com a temperatura e a umidade do ar mais baixas nessa época, é normal que a gente procure ficar em locais fechados para nos aquecer. Dessa forma, criamos ambientes propícios para a proliferação de diversos vírus e bactérias. E são esses organismos que causam as famosas doenças de inverno, sendo a maioria de origem respiratória.

Outro fator que faz com que essas doenças respiratórias sejam mais comuns nessa época do ano é a nossa imunidade, que acaba abaixando. Os motivos para isso são diversos, mas entre eles, um dos mais importantes é a mudança brusca no clima durante o dia. Isso acontece porque vivemos dias com temperaturas mais amenas seguidos de frentes frias, por exemplo. Outro fator que prejudica nossa imunidade é a diminuição da prática de atividades físicas que, como falamos aqui, são grande aliadas à nossa saúde.

Como os sintomas das doenças de inverno podem ser bem parecidos, é normal que a gente se confunda e, até mesmo, se assuste diante da pandemia que estamos vivendo. Para diminuir essa confusão e te deixar mais tranquilo, listamos as principais doenças e sintomas, de acordo com o Ministério da Saúde.

Sintomas:

  • Gripe: é causada pelas variações do vírus influenza e os principais sintomas são febres, tosse, dor de garganta, dor no corpo e dor de cabeça
  • Resfriado: embora seja muito confundido com a gripe, os sintomas são mais amenos e duram menos tempo. O resfriado pode causar coriza, coceira no nariz ou irritação na garganta, mal-estar geral, espirro, secreções e congestão nasal, por exemplo.
  • Alergias respiratórias: geralmente são crônicas e podem durar desde poucos minutos, até alguns dias. As causas podem ser as mais diversas, desde o contato com poeira e pelos de animais, até ácaros e pólen, por exemplo. Os principais sintomas são coceira no nariz, garganta, ouvidos e olhos, espirros, coriza, olhos irritados e lacrimejando, e possível evolução para sinusite, amigdalite, faringite e asma.
  • COVID-19: é causado pela nova mutação do coronavírus e, apesar de poder ser confundido com uma gripe forte, pode apresentar sintomas e consequências mais graves. Os sintomas mais comuns são tosse seca, coriza, febre alta, dor de cabeça, dor de garganta, dificuldade para respirar e para engolir e perda do olfato e do paladar. Apesar de mais raros, os seguintes sintomas também podem aparecer: diarreia, dores no corpo, conjuntivite, manchas na pele e congestão nasal.

E como se proteger disso tudo?

A maioria das medidas de prevenção servem tanto para as doenças mais comuns dessa época como a gripe e o resfriado, quanto para o novo coronavírus. A seguir estão as principais:

Proteja sua família com apenas um clique!

Nada de aglomerações

Desde o início do COVID-19, as principais organizações de saúde do Brasil e do mundo passaram a recomendar evitar locais com aglomeração de pessoas. Esse alerta serve tanto para a prevenção do COVID-19, quanto para gripes e resfriados. Isso porque, locais com grande concentração de pessoas, possuem menos ventilação e são mais propícios para a proliferação de vírus e bactérias através de gotículas que podem ser expelidas através da fala, tosse ou espirros, por exemplo.

Mantenha as mãos higienizadas

Nossas mãos estão em contato com diversos objetos durante o dia, não é mesmo? E eles podem ou não estar contaminados com o vírus da influenza ou do coronavírus, por exemplo. Por isso é importante a constante higienização das mãos, principalmente antes de leva-las ao rosto, ou antes de comer. A lavagem com água e sabão por cerca de 20 a 30 segundos é muito eficiente para a eliminação do vírus, porém na falta de um ambiente para realizar a lavagem, é possível higienizar suas mãos com álcool em gel 70% com a mesma eficácia.

Atenção com a imunidade

Manter a imunidade em alta nesse período é uma dica de ouro. Existem diversos fatores que contribuem pra isso, entre eles ter uma alimentação balanceada, com muitas frutas e verduras ricas em diversas vitaminas, antioxidantes, minerais e anti-inflamatórios naturais, por exemplo.

Outras atitudes que contribuem para a imunidade é manter o nível de hidratação alto, ingerindo cerca de 2 litros de água por dia e não abandonar as atividades físicas.

Máscaras, máscaras e máscaras

É importante não dispensar o uso delas nesse período. Apesar de ser um hábito novo, adquirido por conta do novo coronavírus, ele também é eficiente para evitar o contágio por outras doenças respiratórias como a gripe e o resfriado. Isso porque, o uso correto da máscara evita que a gente tenha contato direto de gotículas contaminadas com as nossas vias respiratórias, dificultando que vírus e bactérias cheguem até elas.

Sendo assim, se precisar sair de casa, não esqueça da sua máscara! Principalmente se for a lugares com bastante circulação de pessoas.

Vacine-se

Ainda não existe vacina para o novo coronavírus, mas existe contra a gripe, que também pode causar complicações sérias a quem é infectado. A vacina contra a gripe é atualizada anualmente, para atingir novas mutações do vírus influenza, causador da doença.

Outro ponto importante de manter a imunização em dia é que, caso você apresente sintomas gripais, mas já tenha sido vacinado, significa que provavelmente você já tem anticorpos contra o vírus da influenza. Dessa forma, o diagnóstico e tratamento de outras doenças que apresentam sintomas semelhantes, como o coronavírus, por exemplo, é facilitado.

Além desses cuidados, outros que são importantes são: manter o ambiente em que você está arejado, cobrir a boca e o nariz ao tossir ou espirrar, manter o isolamento social (se possível), evitar a ida desnecessária à prontos-socorros, entre outros.

Todas as famílias merecem ter um plano de saúde

Esses cuidados, apesar de básicos, são de extrema importância para evitar a proliferação e contágio dessas doenças. Sejam as mais comuns como a gripe, ou o novo COVID-19, que já atingiu mais de 1 milhão de pessoas só no Brasil, desde fevereiro.

Adotar essas atitudes cautelosas ajuda a manter não somente a sua saúde em dia, mas a saúde das pessoas a sua volta também, afinal, #CuidarÉColetivo.

DEIXE UM COMENTÁRIO