HEPATITES VIRAIS: O QUE SÃO E COMO PREVENIR?

Você sabia que, entre os meses coloridos – outubro rosa, novembro azul, entre outros – existe o julho amarelo? Durante esse mês são realizadas diversas atividades para conscientizar a população sobre as Hepatites Virais, tendo como data oficial da causa o dia 28 de julho.

Se você nunca ouviu falar sobre Hepatites Virais, que tal continuar lendo esse artigo que preparamos para entender a importância do tema e como se prevenir delas?

O que são Hepatites Virais?

Geralmente hepatite é o nome dado a infecções que atingem o fígado, órgão responsável pela desintoxicação do nosso organismo. Essas infecções podem acontecer por conta do uso abusivo de substâncias tóxicas, doenças genéticas ou autoimunes e por vírus. E as hepatites virais? Como o próprio nome já nos dá uma pista, elas são causadas por vírus.

Muitas vezes as hepatites são doenças silenciosas, ou seja, não apresentam sintomas. Por isso, é necessário uma certa atenção com essas doenças, viu? Elas podem ser tão perigosas que, as virais, são até apontadas como problema de saúde pública no Brasil e no mundo!

Quais são os tipos existentes?

Existem cinco tipos de hepatites virais no mundo e elas são nomeadas por letras. As hepatites A, B e C são as mais comuns no Brasil todo. Já a D acontece com menos frequência e, geralmente, na região norte do país. Existe também a hepatite E, sabia? Ela é mais rara no Brasil e encontrada com maior facilidade em países da África e da Ásia. Apesar disso, ela merece tanta atenção e cuidados quanto as outras, tudo bem?

Alguns estudos apontam que cerca de 1,4 milhões de pessoas morrem, anualmente, no mundo por problemas decorrentes das hepatites virais. Dentre os problemas mais comuns, estão: infecção aguda, câncer hepático e cirrose.

Infelizmente alguns tipos de hepatite não possuem cura, mas possuem tratamentos. Além disso, existem vários métodos de prevenção e podemos dizer que as vacinas, distribuídas gratuitamente pelo SUS, são uns dos mais importantes, viu? Mesmo que não exista vacina para todos os tipos de hepatites virais, como veremos mais pra frente.

Formas de transmissão e sintomas de cada tipo de hepatite

Hepatite A

A hepatite tipo A é transmitida de forma fecal-oral, ou seja, o contato de partículas de fezes com a boca. Sendo assim, geralmente ela é contraída por pessoas que vivem em condições precárias de saneamento básico, ou seja, sem tratamento de esgoto. Isso porque, essas pessoas tem maior chance de consumir água e alimentos contaminados pelo agente causador.

Nem sempre as pessoas infectadas apresentam sintomas, mas quando isso acontece, eles costumam aparecer cerca de 15 a 50 dias depois da infecção e duram menos de dois meses. Geralmente os sintomas da hepatite A são: febre, fadiga, mal-estar, dores musculares, enjoos, vômitos, dor abdominal, constipação ou diarreia.

Um dos sintomas de um dos tipos de hepatites virais é a icterícia, ou seja, pele e fundo dos olhos amarelados.

Hepatite B

Já a hepatite B é uma doença sexualmente transmissível e pode ser adquirida através do contato com sangue, esperma ou leite materno contaminado. Por isso, pode-se dizer que as principais formas de transmissão são: relações sexuais sem o uso de preservativo; compartilhamento de alicates, agulhas e objetos cortantes; transmissão de mãe para filho durante a gravidez, parto ou amamentação.

Os sinais e sintomas desse tipo de hepatite costumam aparecer apenas quando a doença já está em estágio avançado, podendo causar cansaço, tontura, enjoos, vômitos, febre, dor abdominal, icterícia (pele amarelada), urina escura e fezes claras.

Hepatite C

Assim como os outros tipos de hepatites virais, a hepatite C é um processo infeccioso e inflamatório e pode se apresentar de forma aguda ou crônica, sendo a última mais comum.

A transmissão da hepatite C também acontece através do sangue. Portanto o compartilhamento de objetos cortantes e perfurantes como agulhas, seringas, alicates, equipamentos médicos, equipamentos de tatuagem, entre outros, é um dos principais meios de contágio. Assim como a hepatite B, existe a possibilidade de transmissão através de relações sexuais desprotegidas e durante a gestação ou parto, mas é menos comum.

O surgimento de sintomas da hepatite C é bem raro e estudos apontam que cerca de 80% das pessoas não apresentam nenhuma manifestação deles. No entanto, quando a hepatite C se manifesta de forma crônica, os sintomas podem ser parecidos com os da hepatite B e o vírus pode se tornar causador de outras doenças mais graves.

Hepatite D

A hepatite D é semelhante a hepatite B e a infecção acontece a partir da associação do vírus da primeira (VHD), com o da segunda (VHB). Por isso, existe a possibilidade de contaminação simultânea, ou seja, possuir os dois tipos de hepatite ao mesmo tempo, ou não.

Por conta da grande semelhança, as formas de transmissão e os sintomas são exatamente os mesmos da hepatite B. No entanto, o diagnóstico, que é feito através da detecção de anticorpos, é extremamente necessário para que o tratamento adequado seja realizado.

Hepatite E

Como dito acima, a hepatite E é muito rara no Brasil, acontecendo com mais frequência em países africanos e asiáticos. No entanto, sua transmissão e seus sintomas são semelhantes aos da hepatite A.

O ponto de atenção com a hepatite E é que ela pode se manifestar de forma grave em gestantes.

Como se prevenir das Hepatites Virais?

Como vimos, existem duas principais formas de transmissão dos 5 tipos de hepatites virais diferentes: fecal-oral e contato com sangue e fluídos contaminados.

Sendo assim, as principais ações de prevenção das hepatites são:

  • Tomar as vacinas existentes para alguns tipos, ou seja, hepatite A e B;
  • Utilizar preservativos durante as relações sexuais;
  • Evitar o compartilhamento de objetos de uso pessoal cortantes e perfurantes;
  • Durante a gravidez, realizar os exames de detecção para evitar a transmissão de mãe para filho;
  • Ter hábitos básicos de higiene, ou seja, sempre lavar as mãos após ir ao banheiro e durante a preparação de alimentos;
  • Dar preferencia por consumir água tratada;
  • Higienizar os alimentos antes do consumo;
  • Cobrar políticas e condições adequadas de saneamento básico do governo.

Sabia que na batalha contra as hepatites virais, a conscientização é a arma mais poderosa? Por isso, que tal compartilhar esse artigo com outras pessoas? Lembre-se: compartilhar conhecimento é um ato de cuidado e #CuidaÉColetivo!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook Notice for EU! You need to login to view and post FB Comments!