HIPOTERMIA: RISCOS, CUIDADOS E PREVENÇÃO

A queda de temperatura enfrentada pela região Centro-Sul do país é consequência da chegada de uma massa de ar de origem polar no país. Por não ser uma característica do clima brasileiro, o frio pega a maior parte das pessoas desprevenidas, e, se a exposição às baixas temperaturas for prolongada, pode causar sérios danos à saúde.

A Hipotermia é um dos problemas resultantes da exposição ao frio durante elevado período de tempo. É caracterizada pela queda de temperatura corporal para valores abaixo dos 35°C, pois o corpo perde mais calor do que consegue gerar.

Sintomas da hipotermia:

  • Calafrios e tremores;
  • Dormência nos membros;
  • Ritmo respiratório mais lento;
  • Pele fria e pálida;
  • Sensação de cansaço;
  • Pulsação lenta.

À medida em que a temperatura do corpo vai baixando, pode ocorrer perda gradual da capacidade mental e física.

Grupo de Risco

No Grupo de risco, encontram-se os idosos e crianças (mais sensíveis às baixas temperaturas), pessoas com deficiência cardíaca e/ou insuficiência respiratória e as pessoas muito magras, em geral.

Tratamento para hipotermia

Tratamento da Hipotermia

O tratamento da hipotermia precisa ser feito o quanto antes para evitar complicações, como AVCs, ataques cardíacos, parada dos órgãos, coma e até mesmo a morte. É primordial que a vítima de hipotermia seja aquecida, retirando roupas molhadas ou frias (se for o caso), ingerindo bebidas quentes, utilizando casacos e cobertores, bolsas de água quente ou até mesmo o contato corporal. Se mesmo assim não houver sinal de melhora é preciso buscar atendimento médico emergencial.

Prevenção

  • Sempre manter-se devidamente agasalhado em ambientes frios;
  • Evitar permanecer dentro de águas (mar, piscina, rios) frias por muito tempo;
  • Realizar exercícios ou qualquer tipo de movimento corporal, para facilitar a circulação sanguínea.

Continue acompanhando nosso blog!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook Notice for EU! You need to login to view and post FB Comments!