PLANO DE SAÚDE COBRE CIRURGIAS PLÁSTICAS?

De acordo com pesquisas divulgadas pela ISAPS, Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética, o Brasil é um dos países que mais realizam cirurgias estéticas no mundo. Não é à toa que muitas pessoas pensam em contratar um plano de saúde para realizar tais procedimentos. Mas o plano de saúde cobre cirurgias plásticas?

Esta é uma dúvida frequente que pode causar muitos questionamentos, não é mesmo? Por isso, vamos explorar o assunto e responder as principais questões para você!

Continue lendo e se informe!

Planos de saúde cobrem cirurgias plásticas?

O plano de saúde cobre cirurgias plásticas?

Depende da finalidade da cirurgia, mas de forma geral as cirurgias plásticas não são cobertas pelos planos de saúde se tiverem uma finalidade estética.

De acordo com as diretrizes da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), os planos de saúde não são obrigados a cobrir cirurgias plásticas estéticas, pois elas são consideradas eletivas e não possuem impacto direto na saúde.

Por outro lado, se a cirurgia plástica for reparadora, isto é, com finalidade de corrigir deformidades congênitas e/ou adquiridas através, por exemplo, de trauma ou cirurgia oncológica, os planos de saúde cobrem os procedimentos de forma total ou parcial.

Qual é a diferença entre uma cirurgia plástica estética e uma cirurgia plástica reparadora?

A principal diferença está no objetivo de cada uma. Diferente da cirurgia plástica estética, a reparadora irá corrigir uma deformidade, seja ela congênita ou adquirida, que impacta diretamente na saúde e/ou qualidade de vida da pessoa. Entre elas:

  • Deformidades congênitas (de nascença), como por exemplo o lábio leporino.
  • Alterações no desenvolvimento
  • Traumas e/ou acidentes
  • Pós cirurgia oncológica
  • Entre outros

Já a cirurgia plástica estética, como o nome já diz, tem como objetivo melhorar a aparência da pessoa sem ter como finalidade a melhora da saúde ou qualidade de vida.

O plano cobre quais cirurgias plásticas?

Como dissemos anteriormente, é preciso analisar o objetivo da cirurgia. Do mesmo modo, o acompanhamento médico é fundamental, pois é necessário ter um laudo que comprove a necessidade da cirurgia plástica para sua saúde.

Os planos de saúde costumam cobrir as seguintes cirurgias plásticas:

  • Reconstrução mamária
  • Mamoplastia redutora
  • Reconstrução da face
  • Tratamentos de pacientes com queimaduras
  • Reconstrução pós-trauma
  • Tratamento de tumores na pele

Outros procedimentos tipicamente estéticos, como a retirada do excesso de pele nas pálpebras (Blefaroplastia), são cobertos pelo plano desde que haja um laudo indicando que a condição está prejudicando a saúde da pessoa.

Qual é a cobertura do plano para cirurgias plásticas?

Se for uma cirurgia plástica com objetivo reconstrutivo, reparador ou corretivo, o plano de saúde deve conceder cobertura total ou parcial de todos os procedimentos que estejam previstos no produto contratado.

Para isso, como já mencionamos, você precisa de um laudo médico que será analisado pela operadora de saúde. Do mesmo modo, ela poderá solicitar uma perícia médica para comprovar a necessidade da cirurgia antes de autorizá-la.

Por outro lado, se for uma cirurgia plástica estética, você poderá fazer os exames pré-operatórios utilizando seu convênio, mas o plano de saúde não tem obrigação de custear as despesas referentes ao procedimento estético, como por exemplo a internação e a equipe médica.

Se ainda tem dúvidas sobre o tema, nossa dica de ouro é procurar orientação médica para entender seu caso e se ele teria uma finalidade puramente estética ou algum impacto na sua saúde e qualidade de vida.

Agora que você já sabe as principais informações sobre cirurgias plásticas e os planos de saúde que tal compartilhar essa matéria com mais pessoas? Compartilhar conhecimento é um ato de cuidado e #CuidarÉColetivo!

DEIXE UM COMENTÁRIO