O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE A TERCEIRA DOSE DA VACINA CONTRA COVID 19

Quase dois anos depois do início da pandemia da covid-19 as coisas começaram a melhorar. Conseguimos criar vacinas eficazes, fazendo com que os números de pessoas infectadas, internadas em estados grave e casos de mortes diminuíssem. E, enfim, temos esperança de que as coisas voltem ao normal em breve, não é mesmo?

Mas a batalha ainda não está 100% vencida. Durante esse período, vimos que o vírus causador da covid-19, o SARS-CoV-2, tem grande capacidade de mutação e adaptação e, com isso, já surgiram diversas variantes dele: algumas perigosas, outras nem tanto.

Por conta disso, alguns países decidiram investir em uma dose de reforço no esquema vacinal de prevenção a doença, e o Brasil é um deles. Se você tem dúvidas sobre quem é o público alvo dessa dose e porque ela é necessária, esse artigo para você! Que tal continuar lendo?

Porque surgiu essa necessidade?

Como falamos logo no começo, apesar do avanço da vacinação em muitos países e do controle da doença, ainda existem variantes surgindo por aí. Se você não sabe o que são as variantes, fizemos uma publicação explicando a diferença entre elas, mutações e cepas e é possível conferir aqui.

Terceira dose da vacina para idosos e imunossuprimidos

Essas mutações e evoluções são normais em seres vivos, mas quando falamos de vírus e bactérias que causam doenças, elas podem ser muito preocupantes. Isso porque, elas podem tornar essas doenças letais, causando ainda mais mortes.

Isso não significa que as vacinas que estamos tomando são ineficazes, viu? Pelo contrário! Elas são muito eficazes e, por isso, os casos de contágio e morte têm diminuído a cada dia, possibilitando que nossas atividades voltem ao normal, ainda que minimamente.

A necessidade de um reforço vacinal surgiu porque foi observado que o organismo de alguns pacientes reage de forma diferente à imunização, podendo perder um pouco da proteção ao longo do tempo. Ou seja, podemos dizer que acontece uma queda nos anticorpos adquiridos com as primeiras doses da vacina depois de um tempo. Isso não seria tão preocupante caso não houvessem novas variantes surgindo e circulando por aí, como a Delta, que tem sido bastante encontrada no Brasil. Mas já que existe, é nosso dever nos proteger, né?

E quem são as pessoas que precisam da terceira dose?

Agora no início, o público alvo das terceiras doses são:

  • Idosos acima de 70 anos e que tenham recebido o esquema vacinal completo há 6 meses; e
  • Pessoas imunossuprimidas, após 28 dias de ter recebido a segunda dose.

No caso dos idosos, essa necessidade existe por conta de um evento chamado imunossenescência, que nada mais é do que o envelhecimento do sistema de defesa do organismo.

Já no caso dos imunossuprimidos, é necessário por esses pacientes já terem uma pré-disposição a ter imunidade baixa, precisando de reforço. No entanto, esses pacientes só devem ser vacinados, preferencialmente, quando a doença deles estiver controlada ou em remissão e desde que haja orientação do médico especialista que os acompanha. São exemplos de pacientes imunossuprimidos:

  • Transplantados de órgãos sólidos ou de medula óssea;
  • Pessoas com HIV
  • Pacientes em uso de imunossupressores ou com imunodeficiências;
  • Pacientes oncológicos que realizaram tratamento quimioterápico ou radioterápico nos últimos seis meses;
  • Entre outros.

Terceira dose

De acordo com o site da Casa Civil, do Governo Federal, a recomendação é que a terceira dose seja, preferencialmente, a da vacina Pfizer, mas também pode ser feita utilizando as vacinas AstraZeneca e Janssen.

Caso você seja público alvo da terceira dose e precise fazer a intercambialidade entre as vacinas, ou seja, tenha tomado a CoronaVac na primeira e segunda dose e vá tomar a AstraZeneca agora, por exemplo, não se preocupe! Diversos estudos comprovam que caso exista essa mistura de vacinas para a terceira dose, a eficácia de proteção é a mesma e única dica é prestar atenção aos sinais adversos com o mesmo cuidado que você teve nas duas primeiras doses.

Lembre-se: vacina boa é vacina no braço, protegendo a gente, não é mesmo?

E aí, conseguiu entender a importância da terceira dose da vacina contra a covid-19? As informações sobre esse assunto estão mudando de forma constante, então recomendamos que antes de qualquer decisão, você busque as informações atualizadas com as autoridades da sua cidade, viu?

Se você conhece alguém que está nesse grupo que precisa da terceira dose, que tal compartilhar esse artigo? Compartilhar conhecimento é um ato de cuidado e #CuidarÉColetivo.

Fonte: Governo Federal – 13/09/2021

DEIXE UM COMENTÁRIO

Facebook Notice for EU! You need to login to view and post FB Comments!